Peter toma posse e é o prefeito de Embu

Por Williana Lascaleia, da Câmara Municipal

Peter Calderoni foi empossado nesta quarta-feira, 1. Se Ney Santos que está foragido não assumir em dez dias, Calderoni assume como prefeito - Foto: Williana Lascaleia

Peter Calderoni foi empossado nesta quarta-feira, 1. Se Ney Santos que está foragido não assumir em dez dias, Calderoni assume como prefeito – Foto: Williana Lascaleia

As 16:29h da tarde desta quarta-feira, 1, o médico e vice-prefeito eleito em Embu das Artes Peter Calderoni tomou posse e é o prefeito de Embu das Artes. Prefeito eleito e foragido há 54 dias, Ney Santos, não compareceu a cerimonia. Segundo informou o diretor jurídico da Câmara, Dr. Francisco Roberto de Souza, Ney Santos tem dez dias para tomar posse. “É um momento de muita felicidade, um momento de muita realização. Eu quero me dedicar ao máximo. É para essa população que eu quero me dedicar e para essa população que eu vou dar o máximo de mim. Embu precisa andar para frente; Embu está parado”, afirmou Peter Calderoni em seu discurso de posse. Na semana passada Souza afirmou que Calderoni assumiria como vice-prefeito – e assim permaneceria até, caso Ney não comparecesse para tomar posse e a Câmara declarasse estado de vacância- e ficaria no comando da cidade até novas eleições; mas nesta semana o diretor afirmou que Calderoni, se Ney não comparecer para assumir o cargo de prefeito, assumira o comando da cidade pelos próximos 4 anos, ou seja, não haverá novas eleições. Somente teria novas eleições se nenhum dos eleitos tivessem tomado posse, no caso Peter tomou posse e vai até o final do mandato comandar a cidade. “No prazo de dez dias ele [Ney Santos] vem toma posse sem justificativa nenhuma, sem sessão, sem nada. Nestes dez dias é um direito livre de certo dele, após os dez dias tem que ter a justificativa para analisar a força maior no processo de vacância do cargo de prefeito. [...] O vice-prefeito a partir do momento que ele assume ele vira prefeito. Na condição de vice ele é o prefeito em exercício”, afirmou o diretor da Casa Dr. Francisco. Ainda durante a sessão a vereadora Rosangela Santos questionou se Peter poderia assumir já que a chapa é indissolúvel. O presidente, que dirigiu a sessão, Carlinhos do Embu, afirmou que sim. Doda Pinheiro também questionou se os vereadores presentes não teriam o direito a palavra. O presidente afirmou que na sessão ordinária da Câmara os vereadores iriam gozar de seus 20 minutos para fazer suas considerações, mas que na cerimônia de posse o vereador não tinha o direito de falar. Um delegado também compareceu à sessão acompanhado de um policial civil e foi convidado a compor a mesa. Segundo o diretor da Câmara ele compareceu apenas porque está assumindo a delegacia da cidade e quis estabelecer uma “relação institucional”. Ney Santos está sendo acusado de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e associação à facção criminosa. Um mandado de prisão foi expedido durante a deflagração, pelo Ministério Público da Operação Xibalba. Já foram feitos alguns pedidos de habeas corpus, mas até o momento todos foram negados. Hugo Prado assumiu a presidência da Câmara já nesta primeira sessão ordinária do ano.

Comentários

comentários

This entry was posted in Região, Williana Lascaleia. Bookmark the permalink.