Pesquisa do Procon – SP revela diferença de preço de até 420%

Por Assessoria de Comunicação Fundação Procon-SP
Pesquisa de preço de material escolar realizada pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, na capital, detectou diferença de preço de 420% para um mesmo produto. Caso da borracha látex branca da Faber Castell custava R$ 0,48 em um estabelecimento e R$ 2,50 em outro. Realizada entre os dias 14 e 16/12/2015, ao todo foram pesquisados 243 itens, em dez estabelecimentos em todas as regiões da capital. No comparativo com a pesquisa realizada em janeiro de 2015, a variação dos preços médios foi de 6,02%. Veja aqui a pesquisa completa.
A pesquisa tem como objetivo fornecer ao consumidor uma amostra das diferenças de preços que ele pode encontrar no mercado de material escolar, bem como o preço médio dos itens pesquisados. Segundo a diretora executiva da Fundação Procon-SP, Ivete Maria Ribeiro, as diferenças apuradas constataram a necessidade de ampla comparação antes da compra, “ É importante que o consumidor visite diferentes estabelecimentos e sites, compare os preços, negocie descontos e prazos para pagamento”, afirma.

Veja abaixo algumas dicas para a compra de material escolar.
- Antes de sair às compras, verifique quais os itens que restaram do período letivo anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los.
- A boa e velha pesquisa não pode faltar. Guarde todo o material publicitário, pois além de ajudar na análise dos preços, a publicidade faz parte do contrato e deve ser cumprida, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor.
- Algumas lojas concedem descontos para compras em grandes quantidades. Portanto, sempre que possível, reúna um grupo de consumidores e discuta sobre essa possibilidade com os estabelecimentos.
- Nem sempre o material mais sofisticado é o de melhor qualidade ou o mais adequado. Evite comprar materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados, porque geralmente os preços são mais elevados.
- Materiais como colas, tintas, pincéis atômicos, fitas adesivas, entre outros, devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor. Veja mais dias no blog do Procon-SP.
 

Comentários

comentários

This entry was posted in São Paulo. Bookmark the permalink.