Programa de bônus atinge em maio adesão recorde de 83%

Por Assessoria de Comunicação
 Criado em fevereiro de 2014, o incentivo à redução do consumo resultou na economia de água suficiente para abastecer Campinas e São Bernardo do Campo - Foto: Cicero Cattani


Criado em fevereiro de 2014, o incentivo à redução do consumo resultou na economia de água suficiente para abastecer Campinas e São Bernardo do Campo – Foto: Cicero Cattani

 

Maio de 2015 registrou o maior percentual de adesão ao programa de bônus da Sabesp desde sua implantação, em 1º de fevereiro de 2014. No mês passado, 83% dos clientes da companhia na Região Metropolitana de São Paulo reduziram o consumo de água, enquanto o percentual em março e abril foi de 82%. Em maio, a economia média foi de 6,2 mil litros por segundo, volume suficiente para abastecer cerca de 1,9 milhão de pessoas ou as populações das cidades de Campinas e São Bernardo do Campo somadas.

                O aumento na adesão ao bônus é consequência da queda no percentual dos usuários que elevaram o consumo: em maio, ele foi de 17%, contra 18% em abril. Desses 17%, 10% tiveram de pagar tarifa de contingência por gastarem mais que a média de consumo de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014; os demais 7% elevaram o gasto, mas não foram enquadrados na sobretaxa por consumirem menos de 10 mil litros mensais ou estarem cadastrados na Tarifa Social.

       Tudo isso comprova que a população está cada vez mais consciente da importância do uso racional da água, fundamental para enfrentar a crise hídrica. Iniciativas como o bônus, além de obras de interligação entre mananciais e outras medidas adotadas pela Sabesp, reduziram em 58% a dependência do Cantareira, o sistema produtor mais afetado pela seca. Na comparação com fevereiro do ano passado, quando o bônus passou a valer, a produção de água do Cantareira caiu 18,4 mil litros por segundo em maio.

          Dos 83% que reduziram o gasto de água em maio, 73% efetivamente ganharam o bônus (contra 72% em abril), enquanto os demais 10% diminuíram o consumo, mas não o suficiente para receber o desconto na fatura da Sabesp. Tem direito ao benefício o cliente que baixar o gasto na comparação com a média do período de fevereiro de 2013 a janeiro do ano passado, antes da crise – é a mesma base utilizada para determinar a cobrança do ônus.    

     Considerando todos os clientes que receberam bônus no mês passado, 63% reduziram o consumo em mais de 20% (faixa de bonificação de 30%), 5% diminuíram o uso entre 15% e 20% (faixa de bônus de 20%) e outros 5% tiveram um gasto de água entre 10% e 15% menor e ganharam bônus de 10%.

        O programa de bônus foi implantado em 1º de fevereiro de 2014 para os moradores atendidos pelo sistema Cantareira. Nos meses seguintes, foi ampliado para os municípios atendidos pela Sabesp na Grande São Paulo. Já a sobretaxa é de 40% sobre o valor da tarifa de água para quem exceder até 20% a média do consumo ou 100% sobre o valor da tarifa de água para quem ultrapassar 20% da média. O objetivo da tarifa contingenciada não é arrecadar, e sim incentivar o uso racional da água.

Comentários

comentários

This entry was posted in São Paulo. Bookmark the permalink.